PROLER - Garantia de direitos de aprendizagem: Reflexões sobre BNCC e PNAIC

O baixo desempenho escolar, as reflexões sobre a identidade profissional dos professores alfabetizadores, a garantia dos direitos de aprendizagem e a construção e publicação da BNCC, dentre outros aspectos, desencadearam nas atuais políticas públicas de educação, a necessidade de atender às exigências de melhoria do aprendizado dos alunos, em toda a Educação Básica. O Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa ? PNAIC cumpriu sua função no sentido de ressignificar a prática do professor alfabetizador do 1º ao 3º. Ano do Ensino Fundamental, porém deixou uma lacuna em sua continuidade no processo, que necessita ser preenchido, onde os professores, dos anos seguintes, por não terem participado ainda estão distantes e sintam-se fragilizados em relação a sua prática por não atender àquela que era refletida e aplicada nos anos anteriores. O sucesso da aprendizagem tem muito haver com continuidade do trabalho, não no sentido do continuísmo, mas da postura do alfabetizador que deseja garantir de fato os direitos à aprendizagem dos alunos, no que tange a formação integral do sujeito e seu percurso formativo.Para isso, são necessárias algumas intervenções que garantam transformações das práticas pedagógicas e a mobilização de conhecimentos presentes nas teorias que colaboram à reflexão, definindo assim o que é essencial para a garantia da alfabetização e dos direitos da aprendizagem de todas as crianças do Anos Iniciais. Para tal, é fundamental criar uma proposta para o professor não só o alfabetizador, mas o professor que dê a continuidade ao percurso formativo, partindo da formação continuada, marcado com articulação das políticas de alfabetização, o PNAIC, da prática pedagógica significativa em sala de aula e o que está organizado na Base Nacional Curricular Comum. Nesse sentido, essa formação problematiza a necessidade da reflexão do currículo comum, para todas as séries dos anos iniciais do Ensino Fundamental, numa proposta que busca intervir na formação dos professores, mas com o debate sobre as distintas concepções a respeito do que se compreende como “comum”, bem como as formas de mobilização dos professores na sua participação para esta construção coletiva sobre o currículo, que aprimore o processo de aprendizagem de conhecimentos e garanta a alfabetização plena dos sujeitos que estão matriculados na escola. Tendo em vista a perspectiva dos Direitos de Aprendizagem, a Gerência de Curitibanos pensa em mobilizações para que todos os profissionais envolvidos com as séries dos Anos Iniciais, do Ensino Fundamental, estejam imersos em análises e práticas significativas, que superem as fragilidades no processo de alfabetização e letramento.

 

 

TEMA

DOCENTE

A Base Nacional Comum Curricular: Marcos Legais e aspectos gerais.

Me Jeanine Rodermel

Interdisciplinaridade e os direitos de aprendizagem

Me Cristina Maria Agustini Moraes Ehrhardt

A organização do trabalho escolar e os recursos didáticos em sala de aula

Me Jeanine Rodermel

BNCC de Língua Portuguesa para os anos iniciais

Dra. Kátia Zílio

BNCC ? Linguagens para os Anos Iniciais

Me. Lígia Martins

 

BNCC Matemática para os anos iniciais

Me. Valmir Turcatto

BNCC Ciências da Natureza para os anos iniciais

Dra Natalia Carolina Moraes Ehrhardt Brocardo

BNCC Ciências Humanas para os anos iniciais

Dra. Simone Rocha

A BNCC, a gestão da sala de aula e da escola.

 Me Cristina Maria Agustini Moraes Ehrhardt

A BNCC, Integrando Saberes com tecnologias

Me. Jeanine Rodermel

TOTAL DE HORAS PRESENCIAIS

40 horas

TOTAL DE HORAS  PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETO E ATENDIMENTO DOS DOCENTES

40 horas

CARGA HORÁRIA TOTAL

80 horas


Local: Universidade do Contestado - Campus Curitibanos

Data: 28/06/2017 Horário: 19:00 até 30/11/2017 Horário: 22:30

Período de Inscrição: 28/06/2017 Horário: 07:30 até 04/08/2017 Horário: 20:00

Valor do Investimento:

Mais Informações: 3245-4100

Inscrições Encerradas